Por favor! Não pague pra vir o rosto do…

 Disso eu não sabia. Mas agora sei.

O Saci Urbano me disse que ele só mostrará o seu rosto em suas aparições quando realmente for necessário e está para surgir essa necessidade, caso o projeto do complexo hidrelétrico de Belo Monte, no estado do Pará, for executado.

Vocês nem imaginam o que pode acontecer se o Saciu decidir mostrar o rosto…

O que eu sei – e foi o próprio que me disse – é que suas aparições não serão nada pacíficas. Muita coisa NEGATIVA poderá acontecer. Sei que terá muito barulho, fogo, desastres urbanos nas maiores metrópoles do Brasil e os focos para os seus eventos serão os lugares onde estão os conglomerados do poder, seja este político, empresarial ou rural.

É melhor que as coisas fiquem como estão, porque, se eu fosse você, meu amigo… Não pagaria nenhum tostão furado para ver a face do Saci Urbano; nem com moeda chinesa.Nem morto.

Só os sacis mesmo para ter tamanhas razões para suas proezas e digo-lhes o seguinte: que essa espécie de “seres não-capturáveis” prevê muito bem o futuro.

O Saciu sabe que só quem ganhará com essas obras megalomaníacas são os homens brancos que governam este país, seja em cargos públicos ou na presidência de grandes empresas e instituições, desde sempre capitalistas e servos dos interesses de países do primeiro mundo, tão mal-sucedidos do ponto de vista ambiental.

E talvez seja por isso que o Saci Urbano, em suas raras aparições na Amazônia, tenha visto a quantidade de gringos corporativos transitando em cidades cercadas de tantas riquezas naturais.

O que um povo do Rio Xingu, que vive de acordo com sábios ensinamentos ancestrais, tem a ver com o seu banho quente, senhora? O que eles têm a ver com o seu carro do ano, senhor? O que eles têm a ver com o seu novo emprego e /ou primeiro emprego, jovem alienado?

Você gostaria que uma ordem de despejo, vinda de uma instituição da qual você é sócio e à qual paga contribuição todo mês, lhe tirasse o direito de ser o que é?

A “raça superior” ainda não conseguiu mostrar a sua superioridade, da qual tanto se vangloria, pois para fazer algo a favor do desenvolvimento e do progresso de seus povos sempre se limita a escorraçar uma “raça inferior” do caminho… E esse caminho, aonde vai dar? Alguém sabe me dizer? Tente me explicar para me convencer do contrário! Só não tente convencer o Saci Urbano porque senão ele há de ficar bem mais nervoso com essa história. Ah fica sim, que eu sei! Oras!

Para os desinformados sobre a Hidrelétrica de Belo Monte, segue os “linquis” contendo necessárias informações a respeito:

http://www.brasiloeste.com.br/noticia/2189/usina-belo-monte-xingu

http://www.socioambiental.org/esp/bm/index.asp

Belo Monte (PDF do RIMA_AHE Belo Monte)

Por favor! Não pague pra vir o rosto do…

Saci Urbano para Cidadão. Vote 777

Faltam poucos dias para as eleições deste ano de 2010, e o Saci Urbano logo viu a demanda de lixo visual nas calçadas e nas ilhas de muitas avenidas das cidades metropolitanas deste estado paulista de ser.

Conferiu o crime ambiental cometido pelos próprios candidatos a eleição –  uma vez que outros dessa mesma espécie criaram leis para punir os artistas de rua que deixam marcas visuais  bem mais interessantes que essa sujeira deslavada desses “puliticos” mal-feitores.

Olhando tudo isso, cheguei à conclusão de que o Saciu (Abreviação de Saci Urbano – sem se prender as normas da ABNT.) faria uma brincadeira com essa situação vergonhosa para o bom senso dos “cidadãos”. 

Foi então que apareceram algumas marcas de aparições com uma suposta campanha do Saciu para candidato a cidadão brasileiro.

Hahaha!… Mas é claro que o Saciu jamais quisera se tornar um cidadão deste país, pois assim ele estaria sentenciado a sua prisão de estado.

Estaria nas mãos do governo para ser mautratado de forma sutil e despercebido.

Teria que dançar conforme a “musica de câmaras” – se é que me entende!?… Não esbanjaria mais dessa liberdade natural que tem de aparecer “aqui-e-a-colá”.

Depois de muito tempo de pura ignorância por parte dos homens de poder é que o estado resolve adotar medidas de sustentabilidade – palavra tão recente propagada que escrevendo este texto me apareceu uma rasura de cor vermelha debaixo dela: “sem sugestões de ortografia”, e que eu também não achara no minidicionário da lingua portuguesa. Ou seja, se o progresso é este que primeiro destrói para depois construir e depois cria novas palavras que os “puliticos” e as empresas capitalistas acrescentam em seus discursos e propagandas fascistas, eu prefiro ficar no anti-progresso mesmo. Prefiro viver de forma simples e sentir a t[T]erra como sugere o nosso amigo desobediente dessas condições, o Saci Urbano.