Porque censuram o Saci Urbano?

Sintomaticamente apagam-se diversos graffiti com marcações de aparições do Saci Urbano pela Grande São Paulo e capital. Seja para a manutenção da palidez das cidades e/ou pior: para censurar os comentários visuais que a obra imprime nos muros.

A obra já foi apagada diversas vezes por causa de representação gráfica do cachimbo do saci, por causa da representação gráfica de figura monopé; por causa da cor (preto fosco) e até por fanatismo religioso ou ignorância cultural de pessoas reacionárias.

 

 

No entanto, a obra jamais havia sido apagada por questões políticas.

 

Ficou claro que um trabalho coberto com tinta dessa maneira é para calar o comentário visual da obra, seja para censurar o seu conteúdo, até então implícito na poesia da imagem. E o que é mais grave: é um atentado contra a liberdade de expressão.

 

 

 

 

Não vai nevar no Natal

V E R Ã O   C O M   C A L O R   Q U E   A Q U I   N Ã O   V A I   N E V A R.

Verão com calor que a sociedade-capital, essa que espera a neve legitimar a presença de pinheiros em terra de embaúbas, não possui identidade cultural, digna da sua terra-local.

Verão com calor que a sociedade-capital, essa que espera a neve legitimar a ideia de papais noéus, renas e trenós, saírem de terras frias para se aquecerem em terras tropicais, sofrerá em depressão após decepção.

Verão com calor que a sociedade-capital atende pela cultura de massa, de natureza do consumismo, para o “bem viver” à sua maneira.

fotos_Saci-Urbano_2014
fotos_Saci-Urbano_2014

Verão com calor que a sociedade-capital, por não manter uma identidade cultural de proveniência primitiva, religiosa, tradicional, ou ideológica, extrapola os limites do bom senso e da lógica natural das condições geográficas de uma grande terra-local.

Verão com calor que a sociedade-capital apenas age por estímulos comerciais e obedece ao movimento do consumo inconsciente, e a família dos homens-2000 se une para trocar produtos entre si.

Verão com calor que após o culto de natal haverá a ressaca.

Verão com calor que a neve virtual e imaginária de alguns dias atrás já não existe mais nessa terra-local.
Verão que é proibido nevar em terra tropical.

fotos_Saci-Urbano_2014
fotos_Saci-Urbano_2014

Verão com calor que as classes da sociedade-capital se posicionaram,
cada qual em seu lugar, sob condição estabelecida pelo capitalismo vigente.

Verão com calor que a classe abastada da sociedade-capital ficará no usufruto exclusivo das reservas naturais dessa grande terra-mar-local.

Verão com calor que a classe dos trabalhadores da sociedade-capital ficará aglomerada aos mesmos locais acessíveis às suas condições econômicas.

Verão que no próximo verão não vai nevar nessa terra-local. Pelo menos não naturalmente.

 

Epitáfios

 
 

Um minuto de silêncio, por favor!

Pela morte da cidade.

A cidade agora é só jazigos espalhados,

Escondidos sob o véu do indivíduo

 Com epitáfios para as suas substâncias,

Embora falecidas.

Porque em meio ao caos

A cidade é cotidianamente sepultada. 

 

 
Marca/aparição censurada pelo poder público

Aqui Jaz

A consciência,

A paciência,

A dignidade,

O respeito,

O bom senso,

O direito,

O moral,

A morada,

O solidário,

A infância,

A criança,

O lúdico,

A tolerância,

O humano,

O natural,

A paz,

O amor,

A família,

O ar puro,

A tradição,

A amizade,

A liberdade.

É O… em Terras estrangeiras

Pronto!

Era só uma das coisas que faltava, o  Saci Urbano fazer suas aparições em países estrangeiros. “Eita lasqueira”!…

Foto em Paris -por Eric Marechal

 

Ta lá…Fazendo suas peraltices em Paris, na França. E um pouco mais perto da nossa América, em Cuba, lá naquela ilha independente, terra marcada por muitos “heróis que foram e que continuam sendo de verdade”.

Foto em Cuba - por Eric Marechal

 

…Saudações Sacizistas, povo estrangeiro…

 O que acontece é o seguinte,  apenas o Saci urbano foi viajar pelo mundo, enquanto, eu, seu fiel marcador de aparições, fiquei por aqui mesmo, tomando conta de pautar novas aparições em terra nacional.

Isso logo já faz lembrar de outros causos de sacis (rurais e florestais), que se transportam de certos lugares a outros em forma de Redemoinho de vento.

É… Foi mais ou menos assim. Só que o nosso amigo que “pita de preto” pegou uma carona no projeto Arte de Rua sem Fronteiras do companheiro francês, Eric Marechal.

 Esse cara faz um trabalho sensacional. Leva pôster e lambe-lambes daqui do Brasil e cola em outros lugares do mundo, e traz trabalhos de artistas estrangeiros para colar aqui também.

Por onde ele passa deixa a arte de alguém. Isso, contatando com países de diferentes continentes – eita, como esse ser humano tem o p($)der de viajar em sua forma física -,  compartilhando e difundindo a arte de rua, nas ruas do mundo. Fazendo em muitas intervenções, o diálogo entre os trabalhos de diferentes e distantes artistas.

Portanto, o Saci Urbano, ligeiro que é, aproveitou essa ventania moderna para mostrar sua existência em outros cantos do mundo.

 E não para por aí, visse!… Logo ele fará aparições noutros lugares mais longínquos daqui, das terras dos Tupis, dos boitatás, dos botos e outros caiporas mais.

…Mais Registros Fotográficos de suas apaições lá fora>>>

 

foto Paris - Eric Marechal
foto Cuba - Eric Marechal